As lésbicas podem deixar de lado as políticas de representação? Sobre o filme “Azul é a Cor Mais Quente”, de Adbellatif Kechiche

Fizemos Foi Carnaval

No primeiro mês da minha estadia em Paris, agora no início de novembro, fui ao cinema conferir o filme La Vie D’Adèle – Chapitres 1 et 2 (2013), que será lançado no Brasil nesta sexta-feira, dia 06 de dezembro, com o título Azul é a Cor Mais Quente. O filme, baseado no HQ de Julie Maroh (Le Bleu Est Une Couleur Chaude), foi adaptado para a telona por Abdellatif Kechiche, um prestigiado diretor libanês, que tem em seu currículo filmes como Vênus Negra (2010) e O Segredo do Grão (2007). La Vie D’Adèle conta a história de Adèle, interpretada pela bela e novata Adèle Exarchopoulus, e sua paixão tórrida (e à prImeira-vista) pela jovem de cabelos azuis Emma, papel que fica a cargo de Léa Seydoux, conhecida pelas atuações em Missão Impossível – Protocolo Fantasma (2011) e Meia-Noite em Paris (2011).

Azul-e-a-Cor-Mais-QuentePoster

Fui assisti-lo com bastante curiosidade e, devo…

Ver o post original 1.429 mais palavras

Anúncios
As lésbicas podem deixar de lado as políticas de representação? Sobre o filme “Azul é a Cor Mais Quente”, de Adbellatif Kechiche